Microsoft lança ferramenta open source para “converter” apps do iOS para o Windows 10

Tempo de leitura: 3 minutos

windows-phone-7

Alguns especialistas no assunto dizem que o mercado “open source” para o desenvolvimento de aplicativos é a solução para os problemas de compatibilidade entre um sistema operacional e os seus concorrentes. Pensando em quebrar essa barreira e buscando atrair mais aplicativos para a sua plataforma, a Microsoft lançou o Wndows Bridge, um software que permite que um código em Objective-C seja utilizado como base para que apps rodem no sistema operacional da empresa.

Confira mais detalhes na matéria na integra. (via info.abril)

Ainda em abril deste ano, a Microsoft abriu a temporada de testes para dois de seus novos projetos: o Islandwood e o Astoria. Ambos tinham funções similares, e serviriam para que desenvolvedores “convertessem” apps de iOS e Android e os tornassem compatíveis com o Windows 10. E eis que, nesta última quinta-feira (6), o primeiro deles ganhou um nome oficial – Windows Bridge – e teve o código todo disponibilizado no GitHub.

O software permite que um código em Objective-C seja usado como base para um app que rode no sistema operacional da Microsoft. Para isso, ele conta com um compilador e um runtime da linguagem, traz os headers e as bibliotecas da API do iOS e se integra com o ambiente de desenvolvimento Visual Studio. Dessa forma, um projeto do Xcode pode ser levado para “as ferramentas de desenvolvimento e para o SDK do Windows”, segundo o texto do executivo Adam Denning no blog do Windows.

O resultado, no entanto, não é um simples port que roda em modo de sandbox, isolado do restante do sistema operacional. A ideia da Microsoft é fazer com suas APIs e as APIs usadas nas aplicações do sistema da Apple trabalhem bem juntas, de forma que as interfaces de programação do Windows possam até ser usadas no código Objective-C. Assim, o que temos no fim é um app nativo para Windows 10 que conta com uma boa parte do original.

E por que open source? Basicamente por questões de feedback. “Nós adoraríamos ter mais olhos, respostas e participação no código, então estamos desenvolvendo ‘em campo aberto’”, escreveu Kevin Gallo, vice-presidente da plataforma de desenvolvedores do Windows, no blog do sistema. “Gostaríamos que os interessados dessem uma olhada no Bridge e comparassem o que estamos construindo com os requisitos de seus apps. E os mais ambiciosos nós convidamos para nos ajudar e contribuir com o projeto”, concluiu o executivo.

O Windows Bridge ainda não está completo, e sua versão final só deve ser lançada de vez na primavera, entre setembro e dezembro deste ano. Ainda assim, a versão disponível hoje já suporta o desenvolvimento de apps para Windows 10 e Windows 8.1 e focados em processadores x86 ou x64. Novos recursos, como compatibilidade com a arquitetura ARM, devem ser adicionados durante as próximas semanas – e esperamos que o mesmo aconteça com o suporte à linguagem Swift.

Se quiser testar o software, dá para baixar o Visual Studio Community por aqui. Na hora de instalar, selecione a linguagem Visual C++, todas as ferramentas de desenvolvimento de apps universais e todos os recursos para o Windows 8.1 e para o Windows Phone 8 e 8.1 para que tudo funcione de acordo. E para checar o código-fonte, clique aqui – a Microsoft só ficou devendo o compilador completo.

Quanto à versão do Bridge para Android, o projeto Astoria, uma versão de testes está disponível, mas apenas para convidados. Já o Westminster, que transforma web apps em programas do Windows, chegou com o Visual Studio 2015.

Confira mais detalhes na matéria na integra. (via info.abril)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *